Páscoa: eis que a vida vence a morte!

Páscoa: eis que a vida vence a morte!

                Vivemos imersos em um mundo em constante transformações, em que a vida de muitas formas é ultrajada e ferida por atitudes egoístas engendradas pelos homens, que ferem o que temos de mais precioso, a nossa dignidade de sermos filhos e filhas amados do Pai. Neste mundo ferido, não caminhamos sozinhos. Em nossas angústias clamamos a Deus e Ele compassivamente vem ao nosso encontro.

                Narra-nos as Sagradas Escrituras em suas primeiras páginas, que olhando o Senhor a miséria de seu povo, e se compadecendo com o sofrimento de seus filhos e filhas, com mão forte ele agiu, para conduzir o seu povo da terra da escravidão para a terra da promessa, onde correria leite e mel. Com o seu povo Deus celebrou a Páscoa, a passagem de uma vida de escravidão, para uma vida de libertação. Após o evento pascal, Deus de muitos modos intervirá na História, para manter a liberdade de seus filhos, mesmo que estes em alguns momentos da História da Salvação se revelará como um povo rebelde, em relação ao seu Senhor.

                Na plenitude dos tempos, Deus no seu amor espontâneo e gratuito, vem, por meio de seu Filho, ao encontro da criação. Desde o princípio Jesus habitava no coração do Pai, e do seu coração, por meio do ventre de Maria veio ao encontro da humanidade. Todo o seu existir foi marcado pela busca constante, em passar pela vida das pessoas fazendo sempre o bem. O seu jeito de ser sereno, atencioso, pedagogo, quando necessário, tocou nas estruturas de morte de seu tempo. Por isso, foi questionado, muitos arquitetaram prendê-lo e mata-lo. A sua condenação à morte, se deu pelo fato dele passar pela vida das pessoas curando, escutando, ensinando, mostrando o caminho que leva ao Pai. Ele não teve medo de tocar nas mazelas sociais do seu tempo, para cura-las. E assim agiu, pois veio a este mundo para trazer vida e salvação, para todos que se deixassem guiar pelos seus ensinamentos.

                A cruz que elevou o Cristo, no alto do monte, depois da sua entrega generosa, deixou de ser instrumento de condenação, para se transformar em árvore da vida. Jesus morreu na cruz, mas as páginas sagradas nos testemunham, ele desceu a mansão dos mortos, mas no terceiro dia ressuscitou. Aquele que estava morto, agora vive e está no meio de nós.

                A Páscoa de Jesus, é também a nossa páscoa, pois este grande evento nos ensina, que a morte foi vencida pela vida. E é a vida do Ressuscitado que somos convocados a anunciar e testemunhar, em um mundo marcado por significativas transformações, no mundo da ciência e tecnologia, mas que muitas vezes se esquecem do humano, obra prima de Deus, a quem o Senhor entregou os cuidados de sua casa.

                Após termos cantando “Eis o tempo de conversão”, agora somos convocados a cantar “novo sol brilhou a vida superou sofrimento, dor, morte e tudo enfim”. Pois com Cristo, na força da sua ressurreição, somos convidados a sermos edificadores de novos tempos. Semeadores do evangelho, em um mundo em transformação, mas que ainda se deixa tocar muito pouco pela força da Palavra do Senhor.

A todos os devotos do Bom Jesus, desejamos uma Santa Páscoa, na Ressurreição do Senhor. Na fé caminhemos, na esperança transformemos o nosso mundo e na caridade sejamos solidários e promotores de vida.

Pe. Rodrigo José Arnoso Santos, CSSR

Pároco e Reitor do Santuário Diocesano do Bom Jesus