Publicado 08/10/2015 por Bom Jesus de Pirapora em Palavra do Pároco
 
 

AH TEMPO!

“Para tudo há um tempo….” (Ec 3,1).

 

Queridos internautas! Queridos amigos! Piraporanos, Romeiros e Paroquianos!
 
Como é bom ter este canal de comunicação, através do nosso site. Cada dia que passa, acredito mais e mais que precisamos usar a beleza do avanço da tecnologia e da revolução da internet para anunciarmos a esperança e a alegria que vem do Evangelho do Senhor Bom Jesus e do Reino de Deus.
 
Uma coisa é certa. Muitos temas despertam em nós a reflexão. Um dos temas mais pertinentes tanto na filosofia como na teologia, é o tempo. Por isso, convido você à uma meditação sobre o tempo que em alguns momentos não pára e às vezes parece não passar.
 
 Muitas gerações foram marcadas pelas músicas de Cazuza, que ainda muito jovem 
 
partiu desta vida para o encontro com Deus. Em uma de suas músicas ele cantava: “E o 
 
tempo não para. Não para. Não para!”. Há fases e momentos da nossa vida em que o 
 
tempo parece voar, ao passo, que quando somos surpreendidos por noites traiçoeiras, 
 
sentimos que o tempo não passa. 
 
Na mitologia grega, o tempo é “Cronos”, um pai de muitos filhos que os devorava para 
 
não ter descendentes. Até que Zeus, um de seus filhos, dribla a fúria obcecada do pai e 
 
escapa da destruição. Na Bíblia, encontramos uma frase interessante que diz: “para 
 
Deus, um dia é como se fossem mil anos e mil anos como se fosse um dia”. Ou seja, o 
 
tempo divino é diferente do tempo humano. A fé nos faz vislumbrar que chegará um 
 
tempo de “novos céus e nova terra”, chamado de eternidade. Bilhões de anos ficam 
 
parecendo um curto tempo diante do eterno.
 
Guimarães Rosa menciona o tempo em uma de suas obras dizendo: “Ah tempo! Lugar 
 
de todas as nossas traições”. E Léon Bloy, escritor e pintor francês, escreveu que “todo 
 
prazer gostaria de ser eterno”. Seguindo o pensamento de Guimarães, o tempo parece 
 
corroer nossa lucidez, nossa juventude, nossa memória e até a nossa força. É com o 
 
tempo que nos deparamos com a nossa limitação. E Bloy revela certa “decepção”, já 
 
que nenhum prazer dura para sempre.
 
É salutar lembrar que a Sagrada Escritura ressalta: “há um tempo para cada coisa. 
 
Tempo para plantar e colher; chorar e sorrir; ganhar e perder; nascer e morrer”. 
 
Nestes quase dezenove anos que sou padre, já precisei, por muitas vezes, cumprir a 
 
desafiadora missão de ir a velórios de pessoas muito jovens. E também de pessoas que 
 
viveram oitenta, noventa e até cem anos. 
 
Sempre penso que não importa o tempo que a gente vive, e sim a maneira como a 
 
gente vive. Quando valorizamos cada instante da nossa vida, cada segundo pode ter 
 
gosto de eternidade. Vivamos bem. Amemos bastante. Apertos de mão, abraços e 
 
beijos de afeto, carinho e amizade não podem ser deixados para amanhã. Pois, é 
 
preciso amar e expressar o amor como se não houvesse o amanhã. Ah tempo!
 
Aproveito para convidar você e a sua família a participarem do 2o. Poderoso Cerco de Jericó no Santuário Diocesano do Senhor Bom Jesus, em Pirapora do Bom Jesus, que vai acontecer dos dias 28 de outubro, dia de São Judas Tadeu e Missa pela Família, até o dia 03 de novembro. Todas as noites vão iniciar às 19h30, tendo momentos de intercsessão durante o dia.
 
Que o Senhor Bom Jesus continue abençoando a você e a sua família.
Pe. Silvio Andrei Rodrigues
Pároco